Exercícios de Kegel

Exercícios de Kegel

“To Kegel or not to Kegel?” Eis a questão!


Esta é uma das questões que mais nos defrontamos em contexto clínico, quando chegam até nós com receitas milagrosas de Kegel que resolvem todos os problemas relacionados com Pavimento Pélvico. Mas não é bem assim.
Primeiro de tudo, o que são os famosos exercícios de Kegel?
Os exercícios de Kegel, são um determinado tipo de exercício que consiste na contração e relaxamento dos músculos do Pavimento Pélvico. O seu objetivo major é aumentar o tónus e fortalecer a musculatura prevenindo ou tratando de algumas patologias do pavimento pélvico.
Estes exercícios são de extrema importância, mas não para todas as situações e exigem uma avaliação detalhada dos músculos do pavimento pélvico. É essencial uma boa avaliação relativamente a tónus muscular, força muscular, capacidade de contração e de relaxamento, simetria/assimetria da contração e pontos de dor/tensão e só depois então planear uma intervenção específica para a utente em questão.
O “erro crasso” muitas vezes cometido é que estes exercícios são prescritos sem esta avaliação inicial e muitas vezes são contraindicados para uma primeira fase.
O Pavimento Pélvico saudável tem de ter a mesma capacidade de contrair como a que tem de relaxar, e se estivermos perante um problema de hiperatividade, então será contraproducente estarmos a sobrecarregar com exercício e estaremos a agravar o problema aumentando ainda mais a tensão. É muito importante referir e esclarecer que a causa das incontinências urinárias vem muitas vezes do aumento de tensão da musculatura pélvica e não por hipotonia/laxidão.
Os exercícios de Kegel são de extrema importância, em casos de hipotonia e falta de força, mas após uma correta avaliação e prescritos com “conta, peso e medida”. “One size does not fit all”, cada caso é um caso e é essencial que a prescrição de exercício seja específica e adaptada a cada um. O que para uma pessoa o ideal poderá ser 10 contrações, para outra poderá ser 5 e para outra pode até ser 1 .
Consulte um Fisioterapeuta de Pavimento Pélvico.

Escrito pela Fisioterapeuta Sara Magalhães.